Desafio 5- Otimização do abastecimento de água

Desafio Raiz

Os Distritos de Medição e Controle – DMC’s são áreas de medição e controle perfeitamente delimitadas e permanentemente isoladas, sendo uma técnica para analisar e controlar um sistema de distribuição de água, tornado possível conseguir um maior controle do que acontece em cada região, objetivando reduzir as perdas de água.
Apesar da prática existente, na COMPESA, da implantação de setorização da nossa rede de distribuição, a existência de distritos de medição e controle ainda não está universalizado em nosso sistema de distribuição de abastecimento de água, devido, fundamentalmente, à grande extensão de nossas redes (o Estado de Pernambuco), fator preponderante para a realização da gestão de perdas em todas as companhias de saneamento.
As perdas aparentes correspondem aos volumes de água que são consumidos, mas não são contabilizados pela empresa, principalmente devido às irregularidades (com fraudes e ligações clandestinas, os chamados “gatos”), e à submedição dos hidrômetros. Assim, a parcela de perdas não físicas ou aparentes representa, basicamente, perda de faturamento da empresa, não equivalente à perda física do recurso hídrico.
Apesar do nosso Estado ter uma baixa disponibilidade hídrica, a cultura da população em ver a água como um recurso natural, ou seja, disponível na natureza, passa a sensação de ser um recurso ilimitado. Ainda, há grande facilidade de se realizar ligações clandestinas nas redes de distribuição existentes, o que atrelada à necessidade de fiscalização de uma extensa rede de abastecimento, facilitam a existência das fraudes, o que corresponde ao volume de água não faturado.

Assim, o desafio é encontrar soluções adequadas à otimização do abastecimento de água, através de controle eficiente das perdas, olhando-se para o Estado de Pernambuco em sua totalidade.

-
--------------------------------------------------------------